22 julho 2009

Vida inteligente fora da Terra

B"H

É fundamental sempre citarmos as fontes corretas sobre todo e qualquer assunto de Torá. A explicação sobre o assunto de Meroz foi de fato proferida pelo Lubavithcer Rebe, em uma sichá no verão de 1969.

O Rebe explica, que baseado no Livro de Shoftim (Juízes), capítulo 5, a profetiza Devorah canta uma canção de louvor para D-us por Ele ter ajudado Barak ganhar a batalha contra seu inimigo, Sísera. No verso 20 ela canta: "As estrêlas em seus caminhos lutaram contra Sísera". No verso 2 ela continua, "Amaldiçoado seja Meroz, disse o anjo do Senhor, amaldiçoado amargamente seja seu habitantes, pois eles não vieram para ajudar o Senhor (...) contra os poderosos homens".


E quem é Meroz? De acordo com uma opinião do Talmud, trata-se de um planeta (ver Tratado Moed Katan 16a). Desta maneira, os "habitantes de Meroz" indica vida inteligente em um outro planeta.

O contexto no qual a referência sobre Meroz é encontrada, faz o Talmud definí-la como um planeta (e não uma cidade vizinha), uma vez que é precedido pelo verso que diz: "as estrêlas em seus caminhos lutaram contra Sísera". Portanto, segue que Meroz se refere a um corpo celestial no qual os habitantes não vieram ajudar a Barak.

O assunto de livre arbítrio é trazido também pelo Rebe:

"Se qualquer forma de vida extraterrestre for descoberta, estes serão formas de vida não humanas. Isto é baseado na crança Bíblica que a vida humana, outorgada com o poder do livre arbítrio entre o bem e o mal, foi oferecida desta maneira exclusivamente sobre Adam e Chava na Terra (...). A raça humana é única no sentido em que a ela foi dada o livre arbítiro e a Torá, a palavra e Lei de D-us, através da qual, pode ser conhecido o certo do errado. (...) Toda e qualquer descoberta extraterrestra somente intensificaria nossa responsabilidade de proteger, refinar, e elevar todo o Universo e a totalidade de seus elementos - mineral, vegetal, e animal - e assim transformá-los em canais de energia Divina, utilizando-os para viver uma vida melhor e mais virtuosa".

O Nome

Tem um Midrash que fala sobre Shemchazai e diz que certa vez ele viu uma menina que se chamava Istehar; olhando profundamente em seus olhos, ele a disse: "Ouça-me!". Mas ela disse: Eu não te ouvirei até que tu me ensines o Nome pelo qual tu és capaz de subir aos céus assim que é pronunciado. Ele a ensinou o nome impronunciável. E o que ela fez? Ela pronunciou o nome e foi levada aos céus! O Santo, Bendito seja, disse: "Já que ela foi embora do pecado, vai e coloca ela entre as estrelas."


É ela que brilha no meio das estrelas das Plêiades. Para que seja sempre lembrada.

21 julho 2009

Viagens interplanetárias



O Tikunei Zohar afirma que no mundo vindouro cada tsadik (justo) governará uma estrela, e portanto terá um planeta só para si. Os 18.000 mundos mencionados em um post anterior seria portanto o número dessas "estrelas", governados pelos 18.000 tsadikim aludidos no verso (Ezekiel 48:35), "Ao Seu redor estão 18.000." No entanto, estes devem se referir apenas aos planetas visitados diariamente pela Shechiná (Presença Divina), mas deverá existir também inumeráveis mundos (habitados) para os tsadikim menores.

Uma vez que sabemos que estes planetas foram criados para ser uma futura morada para os tsadikim, podemos naturalmente nos perguntar como eles serão transportados para seus novos lares. No entanto, o Talmud nos responde essa pergunta quando se discute a passagem (Isaias 40:31), "Eles subirão com asas como águias". O Talmud afirma que no Olam Habá (Mundo Vindouro) o Eterno concederá "asas" aos justos para escapar da Terra. O Zohar dá um passo à frente e afirma que "O Eterno os dará asas para voarem por todo o universo".

E Elohim criou os Grandes Crocodilos


O Zohar em Kedoshim 2 Verse 9a nos ensina que quando o Julgamento for suspenso sobre o planeta, e Retidão (Malchut) é coroada com Julgamento, muitos "seres alados" se rebelarão contra os seres do Julgamento Severo, a fim de conquistar o planeta. Eles estendem suas asas de um lado, depois do outro lado, para manter vigilância sobre o mundo. Então eles levantam suas asas para se extenderem se unirem com o Julgamento Severo, e voarem na Terra fazendo o mal. Então está escrito "Coitada da terra de asas vibrantes".

E dizem que o verso: "E todo pássaro alado de acordo com o seu tipo", é relativo aos Anjos, "pois um pássaro do céu levará o som, e uma besta alada corromperá a matéria" (Kohelet 10:20).' Rabbi Yosi disse que todos eles possuem 6 asas e eles nunca mudam [ alteram sua imagem].

Por isso está escrito: "de acordo com o seu tipo". Ele perguntou qual era o significado de, "de acordo com seu tipo"? Ele respondeu: "De acordo com seu tipo" lá de cima. É por isso que eles não mudam e entram em corpos [humanos]. Eles voam e vagueiam ao redor do planeta com seis batidas de suas asas, que correspondem às seis Sefirot de Zeir Anpin. Eles carregam as observações de comportamento humano até a Corte Celestial, e por isso está escrito: "Não amaldiçoe o rei, não, nem mesmo em pensamento" direcionado aos Céus". Isto se refere ao Rei do Universo, porque o Pássaro do Céu, chamado também de Anjo ou Mal'ach, “Carregará a voz (do Justo) até os Céus.


20 julho 2009

Não estamos sós!




18.000 planetas são habitados (Avoda Zara 3a), só não sei dizer se é na nossa galáxia ou no universo inteiro... No Sefer Haberit diz que não se pode esperar que as criaturas de outros planetas assemelhem-se com as que vivem na Terra, não mais que as criaturas do mar assemelham-se com as da terra (-firme).

Meroz é citado como um planeta com população própria e (não apenas) Inteligência vivendo lá. Os habitantes de Meroz foram amaldiçoados (* חרם) por não terem ajudado Israel em uma batalha (física) com os Cananeus (Juízes 5:23). Meroz fica localizado na Constelação de Sisera.

---------------------------------------

A Gemara em Nidah (30a) ensina que quando uma criança é concebida, o mal'ach (anjo, mensageiro) chamado Layla pega o embrião recém-formado e leva à Corte Celestial que decreta sobre o feto todas as qualidades que a pessoa terá, exceto a qualidade de Yir'at Shamayim (temor aos Céus).

A Gemara fala de Rebbi Yochanan que ensinou que quando Abraham Avinu lutou na Guerra dos Quatro Reis, ele teve auxilio do mal'ach chamado Layla. Rebbi Yitzchak Nafcha diz que Abraham teve assistência das estrelas.

Avraham perseverou simplesmente porque ele e sua nação estão acima da ordem natural do mundo, como ensina a Gemara em Shabat (156a) sobre Abraham quando diz que ele teve filhos mesmo que não se esperasse que ele pudesse tê-los. Essa é a alusão da Gemara, quando diz que Layla lutou na causa de Abraham. O mesmo mal'ach que deu o destino a Abraham ainda quando era um embrião, agora veio para mudar seu destino.



* O nível mais alto de excomunhão de acordo com o Judaismo, incluindo separação física, uma maldição mortal, banimento de todas as formas de benefício interpessoal e isolamento total do indivíduo/comunidade.

974 gerações pré-históricas

Quando a Torah foi entregue à Israel, [a voz] de D-us ressoou de um lado ao outro do planeta Terra. Todos os líderes e reis pagãos se tremiam de medo em seus palácios. Resolveram então procurar por Bila'am e perguntaram-no: Que som tumultuoso é esse que nós ouvimos? Será que é um segundo Dilúvio?

Bila'am disse que não era um Dilúvio, pois D-us já havia prometido não destruir a humanidade de novo. Ele continuou dizendo: [D-us] tem um maravilhoso objeto de desejo (a Torah) em seu Tesouro que esteve escondido com Ele por 974 gerações antes do mundo (ou Adam) ser criado.
Zevachim, 116a.

video

A Tradição nos conta que para a Torah ser entregue ao homem, 1000 gerações deveriam previamente ter existido na Terra. Assim, 974 gerações antes de Adam e mais 26 gerações até Moisés.



E disse Hashem: "Haja Luz" e houve Luz.

Interesting video. ;-)


Sexo no Bet Hamikdash? Não. Unificação!

















A Gemara conta que certa vez Resh Lakish disse que quando os goyim [babilônios] entraram na parte mais sagrada do Templo construído por Salomão, eles se depararam com os Kerubins "unidos" (em posição de coito). Eles os levaram ao Shuk de Jerusalém e disseram:

"Estes judeus, os quais as benção são (realmente) bençãos e maldições são (realmente) maldições estão envolvidos nesse tipo de coisas?!?!"

Imediatamente, eles [os Kerubins] foram adulterados, como é dito, Todos aqueles que um dia A respeitaram, adulteraram-na, pois viram a sua nudez.

A imagem dos Kerubim em uma posição erótica foi talvez a maior representação da relação entre D-us e o Povo Judeu. Era um momento de "intimidade" e deveria continuar sendo íntimo. A exposição pública da Shechinah amando seu Esposo seria mal interpretada pelas pessoas no Shuk (pela grande massa), que viram nada mais que dois corpos fisicamente unidos.

Aza e Azael















Sabemos que nos dias da geração de Enosh, Aza e Azael, aterrizaram (ירדו) na Terra; e de acordo com R' Eliezer em nome de R' Yosef: Eles voavam em uma corrente [feita] de ferro, e sobre montanhas desconhecidas, e retornavam todo ano [para pegar] uma esposa até "lamberem os dedos". E voltaram [mais uma vez] e permaneceram, assim como na primeira [vez]. E ensinaram magia àqueles que se envolveram com eles.



Existem Mazikim peludos, outros com a aparência de um bode, outros até com a aparência de uma "deusa". São todos descendentes de Aza eAzael. Os Sábios não chegam a um acordo sobre a aparência de ambos quando aterrisaram na Terra. Alguns dizem que Aza e Azael tinham "Corpos Flamegantes" e outros discordam. É sabido que ambos gostavam/gostariam de "conquistar" a Terra.

Eles foram os "acusadores" quando a Shechinah disse: Façamos o homem. Tiveram ciúmes do homem por saberem que o homem estava destinado a receber a Torah e tentaram convencer (em vão) a Shechinah que eles mereciam mais [a Torah] que a humanidade.

Eles pertencem ao Outro Lado e Azazel está expiando por seus pecados.